É assustador: secretário diz que 300 mil rondonienses não apareceram para a segunda dose

É assustador: secretário diz que 300 mil rondonienses não apareceram para a segunda dose
É assustador: secretário diz que 300 mil rondonienses não apareceram para a segunda dose

É sempre bom acrescentar que quanto mais rápido todo o público vacinável seja imunizado, mais cedo poderemos comemorar a vitória contra o vírus. Por enquanto, com tudo o que está acontecendo, precisamos continuar a ter todos os cuidados.

Claro que a pandemia diminuiu muito, mas mesmo com a queda acentuada do número de mortes e da força com que o vírus ataca, há preocupação sim, na área da saúde, com o crescimento no número de novos casos, nos últimos dias, mas, ao mesmo tempo, com a multidão de rondonienses que, mesmo aptos, não procuraram receber a segunda dose das vacinas. As informações assustam. Em todo o Estado, segundo dados oficiais da Secretaria da Saúde, confirmados pelo secretário Fernando Máximo, cerca de 300 mil pessoas de todas as idades, que já deveriam ter tomado ao menos a segunda dose, simplesmente ignoraram as datas agendadas e não apareceram nos postos de vacinação. Deste total, 70 mil que não apareceram para a imunização, são de Porto Velho. Do total considerado inicialmente como “vacinável”, em Rondônia, algo em torno de 1 milhão e 350 mil pessoas, este pessoal que não compareceu para a dose final (e dentre eles, muitos que teriam que tomar uma terceira vacina, de reforço), representa mais de 22 por cento de todo o público alvo. São números assustadores, mesmo que já tenham sido aplicadas 2 milhões e 50 mil vacinas, das quais 825 mil da segunda dose..

Já recebemos, no Estado, mais de 2 milhões e 750 mil vacinas, com as 66 mil novas doses que chegaram na quarta-feira. Quase 825 mil pessoas já receberam duas doses, o que as coloca entre a multidão com menor chance de ser contaminada e transmitir o vírus. Somos o Estado de toda a região norte que mais imunizou sua população. Mesmo assim, toda esta gente que ignora a importância das vacinas, pode se tornar um grande risco. Em Porto Velho, com mais da metade da população vacinada, a Prefeitura, via decreto assinado pelo prefeito Hildon Chaves,  já liberou até o uso de máscaras em locais abertos, mantendo a obrigação apenas em pontos fechados. Logicamente que estas e outras decisões mais liberais em relação ao combate à doença, se deram porque a pandemia diminuiu muito. Mas é bom sublinhar: ela está muito longe de ter chegado ao fim. Prova disso é que, em uma semana, o número de internados aumentou de 64 para 86 e que, de menos de 30 pessoas ocupando leitos de UTI, na quinta-feira já tínhamos 39 nessa condição. A Secretaria de Saúde do Estado e a Prefeitura da Capital apelam para que todos que ainda não foram vacinados ou que não foram receber a segunda.