Destaque Geral Sem categoria

Amapá tem 5ª noite de protestos contra rodízio de energia; base da PM é depredada

Um dos atos bloqueou o tráfego na BR-210, em Macapá. Manifestantes pediam regularidade do fornecimento de eletricidade, que opera com racionamento. Estado enfrenta apagão há mais de uma semana

Amapá registrou a 5ª noite seguida de protestos contra o apagão de energia, que chega ao 9º dia nesta quarta-feira (11). Manifestantes reunidos na noite de terça-feira (10) pediam a regularidade do fornecimento de eletricidade, que atende com falhas em sistema de rodízio, ligado por até 6 horas de maneira alternada.

Amapá tem 5ª noite de protestos contra rodízio de energia; um dos atos interditou a BR-210 por cerca de 8 horas — Foto: PM/Divulgação

Amapá tem 5ª noite de protestos contra rodízio de energia; um dos atos interditou a BR-210 por cerca de 8 horas — Foto: PM/Divulgação

Segundo balanço da polícia, entre sexta-feira (6) e a madrugada de terça-feira (10), foram mais de 50 atos contra o apagão. Um dos protestos desta terça-feira bloqueou por cerca de 8 horas a BR-210, na Zona Norte de Macapá. Centenas de moradores se reuniram em frente ao conjunto habitacional Macapaba, que tem 4 mil moradias populares.

Para chamar atenção, o grupo queimou pneus e pedaços de madeira. Crianças e idosos participavam do ato, segundo a Polícia Militar (PM), que declarou que teve dificuldades em conter os manifestantes. A Polícia Rodoviária Federal (PRF) também atuou para controlar a situação no local.

UPC do Macapaba foi depredada na noite de terça-feira (10) — Foto: PM/Divulgação

UPC do Macapaba foi depredada na noite de terça-feira (10) — Foto: PM/Divulgação

Atos de vandalismo foram registrados — um deles, a depredação de uma Unidade de Policiamento Comunitária (UPC) do conjunto Macapaba. É um prédio da PM que ainda não havia sido ativado. Vidros foram quebrados, e botijões, geladeira e extintores furtados.

Além da falta de energia, a população do conjunto cobra outros problemas no Macapaba, como a melhoria no fornecimento de água tratada e segurança pública.

Fogo em pneus e pedaços de madeira no meio da BR-210, em Macapá, na tarde de terça-feira (10) — Foto: Ronaldo Brito/Rede Amazônica

Fogo em pneus e pedaços de madeira no meio da BR-210, em Macapá, na tarde de terça-feira (10) — Foto: Ronaldo Brito/Rede Amazônica

Outros atos reivindicando a normalização do serviço de energia aconteceram em outros pontos da cidade, como no bairro Buritizal, na Zona Sul. No local os moradores também queimaram pedaços de madeira e outros itens para chamar atenção.

No bairro Buritizal, na Zona Sul, grupo fez barricada — Foto: Reprodução

No bairro Buritizal, na Zona Sul, grupo fez barricada — Foto: Reprodução

Na segunda-feira, outro protesto bloqueou a Rodovia Duca Serra, na Zona Oeste, que liga Macapá a Santana. A PM tem registrado atitudes violentas durante os protestos de insatisfação. Na terça-feira, uma viatura do Corpo de Bombeiros foi atacada com pedras e teve o vidro frontal danificado na Zona Norte.

PM tentou desmobilizar ato que seguiu por mais de 8 horas — Foto: Ângelo Fernandes/Arquivo Pessoal

PM tentou desmobilizar ato que seguiu por mais de 8 horas — Foto: Ângelo Fernandes/Arquivo Pessoal

DEIXAR UM COMENTÁRIO

Política de moderação de comentários: A legislação brasileira prevê a possibilidade de se responsabilizar o blogueiro ou o jornalista responsável por blogs e/ou sites e portais de notícias, inclusive quanto a comentários. Portanto, o jornalista responsável por este Portal de Notícias reserva a si o direito de não publicar comentários que firam a lei, a ética ou quaisquer outros princípios da boa convivência. Não serão aceitos comentários anônimos ou que envolvam crimes de calúnia, ofensa, falsidade ideológica, multiplicidade de nomes para um mesmo IP ou invasão de privacidade pessoal e/ou familiar a qualquer pessoa. Comentários sobre assuntos que não são tratados aqui também poderão ser suprimidos, bem como comentários com links. Este é um espaço público e coletivo e merece ser mantido limpo para o bem-estar de todos nós.