Destaque Notícias

Amazônia+ 21: Painel aborda busca por desenvolvimento sustentável das cidades

A vida nas cidades amazônicas e oportunidades de negócios sustentáveis foram debatidos nesta quarta-feira (14) no terceiro e último painel dos debates prévios que antecedem o Fórum Mundial Amazônia+21, marcado para 4,5 e 6 de novembro. O evento vai acontecer de forma virtual, gratuito e com tradução simultânea para o inglês e espanhol. Para participar, inscreva-se aqui.

Para aprofundar o tema das cidades, o painel foi desdobrado em dois diálogos. O primeiro abordando “Cidades e Desenvolvimento Sustentável”, foi moderado pelo gerente de Relações Institucionais do Iclei América do Sul, Rodrigo Corradi, e contou com a participação do diretor regional da ONU-Habitat para América Latina e do Caribe, Elkin Velásquez, da diretora regional do Programa de Segurança Energética e Mudanças Climáticas da Fundação Konrad Adenauer, Nicole Stopfer e prefeitos da região.

A prefeita de Boa Vista, Teresa Surita apresentou projeto de sustentabilidade de energia através de investimentos em energia fotovoltaica. “Nossa capital é a única que não é interligada ao sistema nacional de energia elétrica. E preocupados com poluição, focamos no investimento em placas solares, pois a região nos permite”, contou.

O primeiro projeto foi desenvolvido na comunidade indígena Darora, com aproximadamente 50 famílias. Como foi uma experiência de sucesso, foram construídas mais cinco usinas solares, que atendem diversos órgãos públicos, como a prefeitura, secretarias municipais, mercado municipal e pontos de ônibus climatizados.

“Até o final do ano entregaremos mais uma usina, que, somada às já concluídas, representará uma economia de R$ 5 milhões/ano, a preservação de 245.629 árvores, abastecimento de mais de 9 mil residências e diminuição de 7,5 milhões em emissão de gás carbono”, disse a prefeita.

O diretor regional da ONU-Habitat para América Latina e Caribe, Elkin Velásquez, disse que é necessário avançar na agenda da sustentabilidade e englobar a região no chamado bloco da panamazônia, e assim chamar a atenção dos governos para a importância da sustentabilidade e do desenvolvimento, não só das cidades, mas também nas regiões que ainda estão isoladas.

A coordenadora de projetos do Programa Regional de Segurança Energética e Mudança Climática (Ekla) da Fundação Konrad Adenauer, Anuzca Soares, também abordou a situação amazônica sob um prisma das mudanças climáticas e de que forma isso pode ser trabalhado para promover o desenvolvimento sustentável, mantendo a floresta de pé e fomentando a bioeconomia.

Perspectivas da urbanidade

O segundo bloco, com o tema “Desenvolvimento Urbano Sustentável”, teve as presenças do pesquisador da Consultoria Way Carbon, Sérgio Margulis; do secretário executivo da Frente Nacional de Prefeitos, Gilberto Perre; dos prefeitos de Macapá, Clécio Vieira, e de Porto Velho, Hildon Chaves.

O prefeito de Macapá, Clécio Vieira, enalteceu o evento. Segundo ele, o fórum propõe pontos convergentes para preservação e desenvolvimento. Também disse que dentro da Amazônia existe várias “amazônias”, cada região com sua particularidade. “O importante é encontrar alternativas para esta agenda, reunindo o setor público, sociedade organizada, academia, empresários, e promover a discussão para encontrar as melhores saídas”, frisou.

Hildon Chaves, prefeito de Porto Velho, corroborou as palavras de Clécio Vieira. Ele acrescentando que um dos gargalos para o desenvolvimento da região amazônica é a regularização fundiária. “Porto Velho tem grandes áreas que não estão regularizadas e isso inviabiliza principalmente a abertura de crédito para os produtores locais”, disse.

Sergio Margulis disse que não existe proteção possível para o bioma que não passe pelo desenvolvimento da região. No entanto, existem áreas que já são fechadas e protegidas. “Mas esta não é a receita geral”, disse. Segundo ele, a motivação do Fórum de Cidades Panamazônicas é a junção dessas perspectivas: a proteção da floresta e a melhoria da qualidade de vida da população amazônica urbana.

Gilberto Perre ressaltou que já houve outros eventos em que a sustentabilidade foi o foco de discussões. “Hoje a Amazônia tem uma voz cada vez mais forte. Deixo uma sugestão, que é a criação de uma rede entre as cidades, com foco multidisciplinar, reunindo secretarias de planejamento, meio ambiente e educação para promover uma troca de experiências e competências, e deixar essa rede fortalecida”.

Victor Ferraz, do Iclei, falou sobre a importância da preservação da biodiversidade dentro de um contexto econômico não só para o Brasil, mas para outros países. “O Brasil é país com a maior biodiversidade do mundo, mas não é só aqui que devemos ter o cuidado da preservação”, comentou. Também apresentou alguns projetos desenvolvidos pelo Iclei que traçam estratégias para manter a biodiversidade e o ecossistema.

Ao final, o presidente da Federação das Indústrias do Estado de Rondônia (FIERO), Marcelo Thomé lembrou que o tema Cidades voltará a ser pauta do fórum, nos próximos dias 4, 5 e 6 de novembro, e convidou a todos a participarem do grande debate.

Sobre o Fórum

O Amazônia+21 é um fórum internacional permanente de diálogos, que busca fortalecer uma identidade cultural e econômica, com novos modelos de desenvolvimento regional sustentável para a região amazônica. A ação envolve os governos, o setor produtivo, academia, sociedade civil organizada e fomento. A ideia é que o fórum seja realizado a cada dois anos.

É esperada a participação de cientistas, pesquisadores, especialistas, empresários, empreendedores, investidores, órgãos de fomento, governantes e chefes de Estado. Mais informações no site do Amazônia+21.

O evento se dará de forma virtual e tem como propósito encontrar as melhores soluções para o desenvolvimento sustentável da região amazônica. É promovido pela Federação das Indústrias do Estado de Rondônia (FIERO), em conjunto com a Prefeitura de Porto Velho, através da ADPVH, com correalização da Confederação Nacional das Indústrias (CNI) e Instituto Euvaldo Lodi (IEL).

Assessoria de Comunicação Social FIERO

Gratos pela atenção!       

E-mail: imprensafiero@gmail.comandrea.minuto@fiero.org.brhumberto.oliveira@fiero.org.br

Fone: (69) 999835121 

DEIXAR UM COMENTÁRIO

Política de moderação de comentários: A legislação brasileira prevê a possibilidade de se responsabilizar o blogueiro ou o jornalista responsável por blogs e/ou sites e portais de notícias, inclusive quanto a comentários. Portanto, o jornalista responsável por este Portal de Notícias reserva a si o direito de não publicar comentários que firam a lei, a ética ou quaisquer outros princípios da boa convivência. Não serão aceitos comentários anônimos ou que envolvam crimes de calúnia, ofensa, falsidade ideológica, multiplicidade de nomes para um mesmo IP ou invasão de privacidade pessoal e/ou familiar a qualquer pessoa. Comentários sobre assuntos que não são tratados aqui também poderão ser suprimidos, bem como comentários com links. Este é um espaço público e coletivo e merece ser mantido limpo para o bem-estar de todos nós.