Geral Notícias Saúde

Em vídeo, secretário de Saúde de Rondônia avisa que quem está pulando carnaval vai enterrar parentes em 20 dias

Num vídeo duro, publicado em sua página no Facebook, o secretário de Saúde de Rondônia, Fernando Máximo, “bate a real” e avisa às pessoas que, em pleno repique da pandemia de Covid-19, continuam se aglomerando a facilitando a transmissão do novo Coronavírus.

Num vídeo duro, publicado em sua página no Facebook, o secretário de Saúde de Rondônia, Fernando Máximo, “bate a real” e avisa às pessoas que, em pleno repique da pandemia de Covid-19, continuam se aglomerando a facilitando a transmissão do novo Coronavírus.

Ignorando todos os riscos, festas de carnaval clandestinas explodem em várias cidades de Rondônia. Em Vilhena, por exemplo, a polícia teve que fechar um “bailão”, após vizinhos denunciarem a superlotação no estabelecimento

Em seu dramático apelo virtual, Fernando Máximo alerta aos foliões que daqui a 15 ou 20 dias, quando eles precisarem de UTIs para si mesmos ou seu familiares, não vão encontrar, e lembra que Rondônia está “exportando” doentes intubados e em situação grave para outros Estados por falta de vagas.

Por:Conexão Rondônia

DEIXAR UM COMENTÁRIO

Política de moderação de comentários: A legislação brasileira prevê a possibilidade de se responsabilizar o blogueiro ou o jornalista responsável por blogs e/ou sites e portais de notícias, inclusive quanto a comentários. Portanto, o jornalista responsável por este Portal de Notícias reserva a si o direito de não publicar comentários que firam a lei, a ética ou quaisquer outros princípios da boa convivência. Não serão aceitos comentários anônimos ou que envolvam crimes de calúnia, ofensa, falsidade ideológica, multiplicidade de nomes para um mesmo IP ou invasão de privacidade pessoal e/ou familiar a qualquer pessoa. Comentários sobre assuntos que não são tratados aqui também poderão ser suprimidos, bem como comentários com links. Este é um espaço público e coletivo e merece ser mantido limpo para o bem-estar de todos nós.