Saúde

Segunda etapa do Projeto Enxergar disponibiliza mais de mil cirurgias para a população da região de Cacoal

Nesta segunda etapa do Projeto Enxergar 1, 2 mil pessoas de Cacoal e municípios próximos passarão por cirurgia

 

Era tudo escuro, nebuloso, as pessoas eram apenas sombras, e as ruas se tornaram muito perigosas para Antônio, Frederico, Maria e diversas pessoas que tiveram a visão comprometida pela catarata, mas através do Projeto Enxergar do Governo de Rondônia, a dignidade e a função dos olhos deles foram recuperadas.

O projeto teve início no ano passado em Porto Velho onde já foram operadas 2,5 mil pessoas, depois expandiu-se para o interior e está na segunda etapa em Cacoal (De setembro a  novembro). Tem como principais características a agilidade e a humanização do tratamento que é sem custo a população.

O governador de Rondônia, coronel Marcos Rocha, acompanhando do secretário de Estado de Saúde (Sesau), Fernando Máximo, esteve nesta sexta-feira (23) conferindo os resultados. Um deles foi na vida do aposentado Antônio Elisvaldo Monteiro, 72 anos.

Seu Antônio não continha a felicidade por voltar a enxergar. ‘‘Primeiramente agradeço a Deus, e depois a esse governador, que resolveu ligeiro, pois já estou enxergando é bem’’. Em conversa com o governador, ele confessou que com o valor da aposentadoria não poderia custear a cirurgia, e a demora que existia anteriormente na rede pública, o fizeram quase perder a esperança de ver tudo com nitidez outra vez.

A falta da visão fez Antônio se envolver por duas vezes em acidentes de trânsito. O Aposentado, complementava a renda vendendo picolés pelas ruas, mas transitar pela cidade se tornou muito perigoso para ele. Foram anos esperando pelo exame, sem reconhecer até mesmo os familiares direito, sem poder ir e vir sem arriscar a própria vida.

O aposentado Antônio Elisvaldo Monteiro, 72 anos, falou dos desafios que enfrentou pela falta da visão e a felicidade de voltar a enxergar

 

Foi por casos assim, nos quais a demora nas cirurgias maltratava a população rondoniense, que o governador juntamente com o secretário Fernando Máximo criaram já no primeiro ano de gestão o Projeto Enxergar com a missão de zerar as cirurgias de catarata no Estado. Em Cacoal, o projeto recebe recurso de emenda parlamentar da deputada federal, Jaqueline Cassol, e os procedimentos cirúrgicos são feitos na estrutura de uma clínica particular.

A catarata  ocorre principalmente em decorrência do envelhecimento, e é responsável em tornar a visão nublada. O tratamento consiste em cirurgia que retira o cristalino opaco e introduz, no lugar, uma lente intra-ocular que devolve a visão normal ao paciente. A recuperação é rápida e logo o paciente pode retomar suas atividades normais.
‘‘Do jeito que voltei a enxergar também quero que isso aconteça com os outros. Não tem coisa melhor que a gente enxergar’’, assegura Antônio. O governador de Rondônia que está atento as necessidades em diversos eixos e em todos os cantos do Estado destacou a importância de dar continuidade a este trabalho.

”É com alegria que estamos retomando o Projeto Enxergar, pois tira a doença que tira a visão da nossa população. Serão 1,2 mil pessoas atendidas nesta nova etapa. Ficamos muito contente em saber que estamos contribuindo com a sociedade e os recursos públicos estão sendo aplicados de forma correta e para o benefício real da população”, afirma o governador.

”A gente fica muito feliz em voltar a fazer as cirurgias, é claro que ainda não no regime de mutirão como fazíamos antigamente, mas retornamos as cirurgias, pois muitas pessoas com dificuldade de enxergar, após o procedimento voltam as suas rotinas sem o problema da carata. Fizemos mais de mil cirurgias antes da pandemia em Cacoal e agora serão mais 1,2 mil cirurgias, a maioria de catarata, mas também de pterígio, popularmente conhecido como carne crescida”, explica o secretário.

Projeto Enxergar foi criado para zerar as filas de cirurgias de catarata em Rondônia

Fernando Máximo de uma sensibilidade humana e um perfil técnico diferenciado tem mobilizado a pasta da saúde para que o Estado avance na quantidade de rondonienses beneficiados com cirurgias oftalmológicas. Ele destacou ainda que essa segunda etapa das cirurgias está sendo possível porque foi criada condições no Estado para permitir que essas demandas da saúde sejam novamente atendidas após um trabalho firme contra a Covid-19, pois no auge dos casos a pandemia exigiu a suspensão desses atendimentos.

Mas agora com Rondônia sendo um dos estados exemplo no país no enfrentamento a pandemia com um dos menores número de mortes e alta taxa de curas, além de transparente em dados e compras, é possível atender a população nas demais necessidades de serviços da saúde pública, adotando ainda medidas para evitar riscos de contaminação.

As cirurgias são destinadas não só para a população de Cacoal, mas também para os moradores de municípios próximos. E é assim que a vida dos rondonienses vai sendo transformada, e no lugar da doença entra em cena a saúde e a qualidade de vida. Foi assim também para Frederico Timm, 87 anos.

Ele já buscava por uma solução para os danos causados pela catarata há cinco anos.
‘‘Eu não enxergava quase nada, não conseguia mais saber quem eram as pessoas perto de mim, era tudo escuro, agora é tudo claro, estou me sentindo bem’’, conta ele com uma pureza e doçura de quem é grato por recuperar a visão, que só quem perdeu consegue valorizar profundamente.

Maria Helena da Silva Ferreira também relata a alegria de enxergar novamente. ‘‘Graças a Deus que isso aconteceu, fiquei muito feliz com essa cirurgia, antes eu só avistava nuvens na minha frente, e agora eu vejo benzinho e cada dia que passa está melhor. O povo me atendeu muito bem, estou muito satisfeita’’, avalia a aposentada.

Além da retomada das cirurgias de catarata, o secretário Fernando Máximo destacou outra boa notícia para a região de Cacoal. ” O Governo do Estado adquiriu para o Hospital Regional de Saúde de Cacoal um aparelho de cirurgia videolaparoscópica. Esse aparelho vai atender toda a segunda macrorregião de saúde do Estado. Pessoas que antigamente precisavam fazer cirurgias de cortes grandes, agora com esse aparelho podem operar por videolaparoscópica de vesícula, apendicite, por exemplo. Isso significa que está disponível cirurgias minimamente invasivas e com recuperação pós-operatória melhor, é uma grande conquista para Rondônia”.

AVANÇOS

Os investimentos em saúde vem acompanhando o ritmo de um Estado, que tem surpreendido pelos resultados positivos em vários eixos mesmo em um ano de crise epidemiológica. O governador que esteve nos últimos dias vistoriando obras de recuperação das estradas, como a RO-135 onde as obras avançam as obras das cabeceiras na ponte sobre o rio Urupá e o asfaltamento da RO-470 entre Ouro Preto do Oeste e Vale do Paraíso, destacou os índices que colocam Rondônia em evidência no Brasil.

A exemplo do inédito triplo A em solidez fiscal, ou seja, a economia de Rondônia está no azul, e isso depois de um esforço intenso para tirar o Estado do déficit orçamentário de 2019 e entrar em 2020 com superávit, o que tem permitido os investimentos em Rondônia.

Marcos Rocha ainda lembrou que o Estado tem o sexto melhor Índice do Desenvolvimento da Educação Básica (Ideb) do país e é o melhor da região Norte. E ainda tem aumentando o volume de produção de calcário, insumo importante para Rondônia que é um Estado do agronegócio.

O governador reforçou que segue com o compromisso de aplicar com responsabilidade os recursos públicos para que a população seja de fato beneficiada.

A visita a clínica também foi acompanhada pela prefeita Maria Simões e pelo deputado estadual Cirone Deiró.

Secom-RO

DEIXAR UM COMENTÁRIO

Política de moderação de comentários: A legislação brasileira prevê a possibilidade de se responsabilizar o blogueiro ou o jornalista responsável por blogs e/ou sites e portais de notícias, inclusive quanto a comentários. Portanto, o jornalista responsável por este Portal de Notícias reserva a si o direito de não publicar comentários que firam a lei, a ética ou quaisquer outros princípios da boa convivência. Não serão aceitos comentários anônimos ou que envolvam crimes de calúnia, ofensa, falsidade ideológica, multiplicidade de nomes para um mesmo IP ou invasão de privacidade pessoal e/ou familiar a qualquer pessoa. Comentários sobre assuntos que não são tratados aqui também poderão ser suprimidos, bem como comentários com links. Este é um espaço público e coletivo e merece ser mantido limpo para o bem-estar de todos nós.